I'm lost in all myselves ❄

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

I'm lost in all myselves ❄

Mensagem por Dorian Rockefeller em Sab Jul 12, 2014 12:55 am





Craig Rockefeller, empresário e multimilionário, apaixona-se por Odette Waydrich, uma simples mulher que trabalha como garçonete em restaurantes. No que esse amor pode dar? Além de Dorian, absolutamente mais nada. O casal não permaneceu junto quando o filho nasceu, cada um foi para um lado, seguindo suas vidas como se nada houvesse ocorrido; o casamento que era feliz tornou-se um mártir depois que a mulher foi apresentada à família do rico homem. Depois da separação, Odette voltou a viver no Brooklyn junto de seu filho, que apesar de rejeitado pela avó e alguns tios, nunca foi abandonado pelo pai.

Dorian cresceu com uma infância em gangorra; em um ano estava em colégios públicos e trabalhava de meio-período, no outro estava em colégios mais caros que faculdades e tinha dinheiro de sobra. O modo como viveria o ano dependia unicamente de com quem estava morando, se seu pai ou sua mãe. A única coisa que não se alterava em local algum onde estudava ou morava era o fato de ele se esforçar cada vez mais e mais para ser bom em absolutamente tudo, desde matérias escolares à esportes, lutas e instrumentos musicais. E ele conseguia. Seu esforço todo era apenas para mostrar àqueles que o rejeitavam de que ele valia à pena; para mostrar a sua avó que como neto único - apesar de ela não o ver assim - ele valia à pena.

Em todos os colégios que estudava Dorian era o garoto perfeito. Lindo, inteligente, o quarterback do tipo e astro do mesmo, o garoto que era admirado e temido. Ele era, sempre, tudo o que as garotas populares ou não desejavam, e até mesmo alguns garotos. Além de todo este pacote, o menino ainda era uma boa pessoa e muito gentil. Poderia dizer romântico, contudo seus romances não duravam muito ou acabavam com ele bêbado e acordando ao lado de uma garota qualquer. De todo modo ele, em qualquer lugar, era o "It Boy". Pelo menos até àquele ano.

Era o ano de seu pai, e como sempre ele o estava odiando simplesmente pela presença constante de sua avó. Ele não ligaria muito para o que ela dizia ou fazia, porém era algo tão constante que ignorá-la tornou-se uma tarefa quase impossível de se cumprir. E o pior, mais tarde ele descobria que sua mãe havia fugido. Talvez, cansada das acusações da mãe de Craig, ou mesmo por não conseguir dar ao filho tudo o que o pai oferecia que ela fez o que fez. Dorian já havia a visto chorar inúmeras vezes, já a tinha visto se cortar e mesmo drogar-se para "espantar seus demônios", porém Odette continuava a sera garota que todos viam como interesseira, a garçonete que mal conseguia se sustentar, a mulher que não podia dar ao seu filho metade do que ela achava que ele merecia. Ela sabia que Craig não pediria a guarda de Dorian, logo ela o forçou a tê-la.

Seus anos depois disso foram os melhores e piores. Melhores por seu conforto e o modo que vivia, piores pela presença da mãe de seu pai que o atormentava mais e mais. Ele já havia pensado em fugir, mas para onde iria? Não tinha onde se esconder ou ficar. Já havia sido expulso de duas escolas por brigas horríveis, o que o transformou do garoto perfeito ao valentão temido. Ele já não agia como deveria agir, já não parecia ser ele mesmo. Entrou para uma gangue no Brooklyn, e por causa dela já havia sido detido três vezes, duas por posse de drogas e uma por furto à mão armada, só não havia sido preso realmente porque, como tido, seu pai tinha dinheiro, e dinheiro compra basicamente tudo.

Ele teria continuado a ser aquele garoto horrível não fosse ele ter visto um cara de sua gangue matar uma mulher para roubá-la. Aquilo o assustou, não porque nunca tinha visto alguém atirar ou matar alguém, e sim porque a mulher lembrava sua mãe. Dorian saiu do Brooklyn, onde estava vivendo desde que entrou para aquele 'grupo', e voltou para a casa de seu pai. Ele havia perdido um ano, por isso teve de voltar a estudar, em um colégio que ainda não o havia expulsado, e o qual aceitaria de bom grado o dinheiro de Craig. Lá, ele não seria mais o menino perfeito, nem o jogador de futebol, nem o valentão. Ele seria o garoto inteligente, frio e calado, o qual não ligava realmente pra ninguém de lá, e enquanto estava sendo este seu novo eu ele escondia os eus que já havia sido. E não somente nesse novo colégio, como também no acampamento o qual seu pai obrigara a entrar; ali, ele também seria o rapaz inteligente, recluso e com seus novos trejeitos e frieza extrema.

RANDOM FACTS

friends
  1. ITEM
  2. ITEM
  3. ITEM
  4. ITEM
loves
  1. ITEM
  2. ITEM
  3. ITEM
enemies
  1. ITEM
  2. ITEM
vips
  1. ITEM


 
dorian

craig waydrich rockefeller.
18 anos. chalé 2.
nerd. centrado. frio. calculista. desinteressado. observador. irônico. TOC. misterioso.
CREDIT TO MALENA


avatar
Dorian Rockefeller
Chalé 2
Chalé 2

Mensagens : 7
Data de inscrição : 09/07/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: I'm lost in all myselves ❄

Mensagem por Dorian Rockefeller em Sab Jul 12, 2014 1:02 am



first last L O A D I N G . . .




first last L O A D I N G . . .


avatar
Dorian Rockefeller
Chalé 2
Chalé 2

Mensagens : 7
Data de inscrição : 09/07/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum